A primeira linha de defesa

 

Por muito frágil e vulnerável que possa parecer, a pele é suficientemente resistente para constituir a primeira barreira do corpo contra as bactérias e vírus.

O que a torna tão adequada ao seu papel de proteção é a camada de células mortas que constitui a sua parte exterior, a epiderme. Mais fina do que película aderente de cozinha, esta camada é composta por queratina, substância muito difícil de destruir e que a maioria dos agentes infecciosos só consegue penetrar quando a pele se encontra pouco saudável ou lesada.

Por outro lado, os micróbios são frequentemente detidos pela barreira constituída por pelos, que ajuda a evitar que a sujidade e os micro-organismos atinjam a pele. Os que conseguem ultrapassar esta barreira "aterram" numa película de suor, gordura, substâncias químicas ácidas e bactérias benéficas que unem esforços para manter afastados os organismos hostis. Algumas células imunitárias (como as de Langerhans) encontram-se de prevenção na epiderme, à espera de uma oportunidade para ingerirem micróbios indesejáveis e alertarem outros membros da equipa imunitária para a chegada de mais atacantes.

 

A PELE EM NÚMEROS

1-2 mm - espessura média da pele

19-34 dias - Tempo de vida das células da pele

2m2 - Média da área coberta por pele no adulto

25600 - Número de bactéricas "boas" por centímetro quadrado de pele

1000km - Medida aproximada do total de crescimento dos cabelos de uma pessoa ao longo da vida

50000 - Número de células mortas que se soltam e caem por minuto

_______________________________________

Excerto retirado de "REFORCE AS SUAS DEFESAS"