Água: o nutriente esquecido

 

Uma coisa é certa: beber muitos líquidos, água em especial, é bom para a saúde.

 

Infelizmente, só uma minoria segue este conselho. Em média, as pessoas bebem apenas 3 a 4 copos de 2,5 dl de água por dia, mas ingerem a mesma quantidade de bebidas desidratantes, como café e refrigerantes; como todos os sistemas do nosso organismo, incluindo o imunitário, dependem da água, que é vital para funções básicas – como a regulação da temperatura e o transporte de nutrientes a todas as células –, a situação não é animadora.

QUANTA ÁGUA?

A quantidade diária necessária varia de pessoa para pessoa, não sendo forçoso beber os tais 8 copos de água por dia, recomendação cuja proveniência se desconhece. O melhor será guiar-se pela cor da urina e frequência da micção. A urina amarelo-clara sugere que a ingestão de líquidos é adequada (porém, os suplementos vitamínicos, sobretudo a riboflavina, uma vitamina do complexo B, tornam a urina amarelo-brilhante). Urinar com frequência é bom sinal, embora possa também ser consequência de certos medicamentos ou de doença. Tente repartir a ingestão de líquidos bebendo ao longo do dia, de modo a manter os níveis de água do organismo estáveis, e beba mesmo que já não sinta sede, pois a sensação de sede desaparece rapidamente depois de se começar a beber e muito antes da reposição total dos fluidos perdidos. Pode hidratar-se com qualquer líquido: água, leite, sumos, batidos, infusões de ervas ou bebidas pouco gasosas. As bebidas isotónicas, usadas após as atividades desportivas, fornecem eletrólitos (sódio e outros minerais perdidos através da transpiração) e parecem ser eficazes na hidratação do organismo durante o exercício físico violento, como alpinismo a grande altitude ou ciclismo, quando as temperaturas rondam os 30° C.

_______________________________________

Excerto retirado de "REFORCE AS SUAS DEFESAS"