BARÇA MARCA GOLO COM JOVENS REFUGIADOS

 

Antigo defesa do Barcelona, Juliano Belletti junta-se às sessões de treino das crianças em Lesbos.

 

Crianças O Barcelona, o gigante do futebol, tem apoiado crianças refugiadas que vivem em campos na ilha grega de Lesbos organizando sessões de treino de futebol. O objetivo é promover o diálogo e a tolerância, aliviar o stress e alimentar amizades.
«Sabemos que podemos ajudá-las a sonhar, podemos mostrar-lhes o futuro», explica Jordi Cardoner, vice-presidente do braço solidário do clube, a Fundação Barça.

Lesbos foi a principal entrada para a Europa de milhares de refugiados no pico da crise de migrantes, em 2015 e 2016. Cerca de 15 mil refugiados permanecem em abrigos temporários nas ilhas gregas em condições que as organizações de ajuda descrevem como desumanas.

O veterano do Barcelona, Juliano Belletti (na imagem), está entre os apoiantes mais conhecidos do projeto, que mantém três sessões de treino por semana dirigidas por treinadores que são refugiados que receberam asilo. «Com este programa, as crianças aprendem valores como o respeito e o trabalho de equipa», diz Aesa Osso, treinador sírio. Um terço dos participantes são crianças, incluindo Baloot Ali, do Paquistão, com 15 anos. «As pessoas diziam que o futebol era só para rapazes», diz ela. «Mas agora não há diferenças entre raparigas e rapazes. Somos iguais.»