Chá: um estimulante suave

 

A introdução na Europa da bebida preparada com a infusão das folhas de chá deve-se aos Holandeses, no século XVIII. 

A planta, originária do Assuão Superior e de Manipur, começou a ser cultivada na China e na Índia, e, depois de divulgada por Fernão Mendes Pinto, em muitas outras partes do Mundo.

Há momentos em que parece não haver nada mais revigorante do que uma chávena de chá, mas, na verdade, o valor nutricional desta bebida é reduzido - se bem que, com o leite ou o açúcar que geralmente lhe são adicionados, possa conter cerca de 40 calorias. Contudo, os estimulantes presentes no chá, como a cafeína, podem acelerar a frequência cardíaca, aumentar a vivacidade mental e auxiliar a função respiratória através da dilatação das vias aéreas. Uma única chávena de chá fornece cerca de 40 mg de cafeína, quase o dobro da quantidade presente na maior parte das bebidas à base de cola e cerca de dois terços da que existe numa chávena de café instantâneo.

Contudo, os taninos do chá não são benéficos. Se é certo que o tornam mais encorpado, podem, por outro lado, interferir com a absorção de ferro, sobretudo se o chá for tomado a acompanhar alimentos ricos em ferro. As crianças pequenas não devem beber chá, pois o seu aparelho digestivo tem menos capacidade de aguentar os estimulantes químicos presentes no chá, havendo por isso a possibilidade de virem a sofrer de anemia ferripriva.

Os taninos também podem manchar os dentes, sobretudo próteses dentárias. Não devem ser usados elixires orais com cloro-hexidina imediatamente antes de se tomar chá, pois essa substância química pode acentuar a capacidade de causar manchas.

O chá também contém níveis consideráveis de quercetina, um dos muitos compostos químicos naturais designados por bioflavonóides. Apesar de, numa primeira fase, as investigações terem indicado que a quercetina poderia ser responsável pelo aparecimento de cancro, trabalhos mais recentes sugerem que a ingestão de quantidades elevadas de bioflavonóides, que são antioxidantes fortes, está associada a uma diminuição do risco de cancro e doença cardíaca. Pensa-se mesmo que o chá verde e o chá de Oolong têm propriedades especificamente anticancerígenas. Contudo, as provas ainda não são consistentes, e os resultados animadores obtidos em laboratório ainda não foram reproduzidos através de estudos sobre a população.

Outros componentes do chá, além dos aromatizantes que lhe são adicionados, como a bergamota, por exemplo, incluem flúor (0,25 mg por chávena) e manganés (0,5 mg por chávena).

As pessoas que sofrem de úlceras pépticas devem evitar chá preto forte, porque, como o café, o chá estimula a secreção de ácidos gástricos, podendo provocar irritação; em vez disso, devem beber chá fraco com leite também parece que o chá desencadeia enxaquecas em pessoas sensíveis; desconhece-se, contudo, se isso se deve ao seu teor de bioflavonóides ou de cafeína.

 

CHÁS DE ERVAS AROMÁTICAS:

Estes chás, tisanas ou infusões, preparados com as folhas, as flores e os frutos de muitas plantas, têm vindo a tornar-se cada vez mais apreciados. A muitos deles são atribuídas virtudes medicinais, apesar de ainda haver poucas provas científicas que justifiquem tais afirmações. Existe actualmente à venda em lojas dietéticas, ervanárias e supermercados uma gama vastíssima de chás de ervas, mas os remédios à base de ervas podem ser preparados de forma fácil e segura em casa. Calcule uma colher de chá da planta seca (ou duas de folha fresca) por chávena. Deite água a ferver por cima, tape e deixe em infusão cerca de 5 minutos; passe pelo passador antes de beber. Pode adoçar o chá com mel ou açúcar.

O chá de camomila é desde há muito utilizado para aliviar a indigestão, acalmar os nervos e reduzir a ansiedade. Diz-se também que ajuda a induzir o sono. Pachos de algodão embebidos no chá arrefecido têm um efeito calmante quando aplicados sobre olhos inflamados, com prurido ou cansados.

O chá de folhas de taráxaco, ou dente-de-leão, pode ser um diurético eficaz, ajudando a eliminar os líquidos em excesso.

O chá de flor de sabugueiro é reconfortante em casos de gripe, catarro ou dores nos seios perinasais; dizem que é anti-inflamatório e faz transpirar. Também é útil para problemas de pulmões e alivia a febre-dos-fenos.

O chá de sementes de funcho ajuda à digestão devido à presença de uma substância rica em anetol, reduzindo náuseas e aliviando a distensão do abdómen devido a gases. Se for tomado pela mãe em período de amamentação, diz-se que aumenta o fluxo de leite e ao mesmo tempo alivia as cólicas ou gases do bebé. Pensa-se que as sementes de funcho estimulam a menstruação, devendo por isso ser evitadas por mulheres grávidas.

O chá de flor de alfazema é uma bebida relaxante; deve ser tomado antes de deitar para ajudar a induzir o sono.

O chá de erva-cidreira, que é melhor se for feito com folhas frescas, alivia a tensão sem provocar sonolência. Também pode ajudar a digestão, acalma os nervos e alivia estados febris.

O chá de flor de tília é calmante. Diz-se que alivia dores de cabeça de stress, diminui a agitação, reduz a tensão nervosa e ajuda a dormir. Foi usado pelos médicos durante a 11 Guerra Mundial como tranquilizante suave. Também pode baixar a febre nas constipações e gripes.

O chá de folha de urtiga é um tónico que contém vitaminas e minerais, incluindo ferro. Pode atenuar reacções alérgicas, como febre-dos-fenos e urticária.

O chá de folhas de hortelã-pimenta é óptimo para beber depois de uma refeição substancial, pois ajuda a digestão e alivia a flatulência. Pode ajudar a controlar as náuseas e é útil para tratar constipações e gripe, sobretudo quando combinado com flor de sabugueiro.

O chá de folha de framboesa é ligeiramente adstringente, podendo ser usado como elixir oral ou colutório em infecções de garganta. Diz-se que, bebido regularmente durante as semanas de gravidez, reduz a duração das dores e facilita o trabalho de parto. Contudo, não deve ser tomado no início da gravidez, pois pode provocar um aborto.

O chá de alecrim é tomado geralmente como revigorante de manhã ou em períodos de cansaço. Pode aliviar as dores de cabeça e problemas de indigestão. Diz-se ainda que pode melhorar a memória e o estado de humor.

O chá de cinorrodo, fruto da silva-macha, esmagado e picado, é rico em vitamina C e diz-se que pode ajudar a evitar constipações e infecções. Se juntar a este chá umas gotas de sumo de limão ou um pedaço da casca de limão, realça o seu sabor suave.

O chá de tomilho é recomendado para todos os tipos de infecções, incluindo constipações, gripe, bronquite, dores de ouvidos e sinusite. Também se diz que alivia o mal-estar causado por indigestão e levanta o moral.

 

CHÁ GELADO:

Em 1904, um comerciante inglês de nome Richard Blechynden encontrava-se de visita a Nova Iorque para fazer a promoção do chá da Índia. Num dia tórrido, na Feira Mundial de St. Louis, vendo que tinha poucos clientes, Blechynden decidiu deitar chá sobre cubos de gelo - nascera o chá gelado.

Os especialistas aconselham o seguinte método de preparação: deite 60 g de chá em 1,2l de água fria e deixe em infusão pelo menos 3 horas ou durante a noite. Coe o chá para um jarro grande e mantenha frio. Coloque cubos de gelo nos copos, deite o chá e sirva; pode juntar uma rodela de limão.

Muitas pessoas adoçam o chá com um pouco de açúcar; outras servem com folhas frescas de hortelã.

 

ATENÇÃO: 
Certas infusões de plantas usadas pelas medicinas alternativas podem conter substâncias potencialmente nocivas - as mulheres grávidas não as devem tomar. Os alcalóides de pirrolizidina, por exemplo, presentes em mais de 300 espécies vegetais, incluindo a consolda, têm sido associados a lesões do fígado. Assim, o chá de consolda só deve ser usado com objectivos medicinais.

Benefícios do chá:

- É um estimulante suave

- Contém quercetina, um antioxidante que pode reduzir o risco de doença cardíaca e cancro.

Inconvenientes do chá:

- Reduz a absorção do ferro dos alimentos se bebido à refeição

- Os taninos podem manchar os dentes

- Pode causar enxaquecas em pessoas susceptíveis

- Pode provocar irritação gástrica.