Guardar ou deitar fora?

Nem sempre é fácil separarmo-nos de determinados objetos, mas, por vezes, a necessidade impera. Contudo, deve saber distinguir entre aquilo que deve ser conservado e o resto.

 

A TRIAGEM: seja inflexível

Nas nossas sociedades, a quantidade de objetos que acumulamos ao longo de uma vida é colossal. Quem já teve de administrar uma herança sabe a que ponto pode ser aborrecido fazer a triagem, deitar fora, dar, vender ou distribuir objetos que pertenceram a alguém. Por falta de espaço, a maior parte das coisas costuma ser dada ou deitada fora, apenas se guardam os objetos com verdadeiro valor – financeiro ou afetivo. Separe os seus pertences todos os dias e aprenda a manter apenas o essencial.

✸ Separarmo-nos dos nossos objetos pessoais é um trabalho demorado. O valor atribuído a um bibelot costuma ser sentimental: mesmo os acessórios mais insignificantes, se foram usados com prazer durante muito tempo, ficam carregados de recordações. Quando se tratar de fazer uma seleção ou de deitar fora, evite dizer: «Nunca se sabe, um dia isto pode voltar a servir», se tem consciência de que esse não é o caso.

 ✸ Não deite fora coisas que sabe que podem ser úteis a outros, sobretudo aos mais desfavorecidos. Contacte instituições de caridade da sua área de residência e ofereça objetos e móveis dos quais já não se serve.

✸ Se, apesar de ter muitos espaços para arrumação, já não consegue guardar as novas aquisições, elimine as antigas. Mesmo que este trabalho lhe possa custar, muitas vezes revela-se libertador: permite-nos perceber até que ponto nos rodeamos de objetos que, bem vistas as coisas, já não têm qualquer validade.

✸ Motive-se: por vezes, arrumar, selecionar ou deitar fora são tarefas pouco agradáveis, mas o resultado é sempre extremamente gratificante. Não queira fazer tudo de uma vez: divida a tarefa por vários objetivos facilmente alcançáveis, uns a seguir aos outros – comece por uma prateleira ou gaveta, ou um armário. Não ataque uma divisão inteira, pois poderá perder a coragem depressa. Sempre que esvaziar uma divisão da sua casa para a limpar a fundo, aproveite para fazer uma triagem e eliminar alguns artigos. Depois disso, reorganize os que restaram nesse espaço bem limpo.

 

O SEGREDO DA TRIAGEM: três caixotes grandes 

Arranje três caixotes grandes. Um servirá para aquilo que pretende guardar. Se hesitar, faça a si próprio as seguintes perguntas: utilizou esse objeto nos dois últimos anos? Se desaparecesse, voltaria a comprar outro? Ainda funciona bem? Que recordações lhe estão associadas? Entre dois exemplares de um mesmo objeto, guarde aquele que estiver em melhor estado de conservação, depois coloque-o no caixote.

✸ O segundo caixote é um espaço de triagem: guarde nele os objetos prestes a irem para o lixo, artigos partidos, aquilo que não lhe interessa guardar. Coloque também aquilo que não tem a certeza de querer dar, aquilo que desejar guardar. Assim que fizer a sua escolha, ser-lhe-á mais fácil dividir os objetos deste segundo caixote entre o primeiro (para guardar) e o terceiro (para conservar). Tudo o que restar neste segundo caixote será para deitar fora.

✸ Arrume no devido lugar os objetos do primeiro caixote, depois embrulhe e coloque etiquetas nos do terceiro em recipientes apropriados. A seguir arrume-os na cave, na garagem ou no sótão. Quando voltar a mexer nesses caixotes, passados seis ou doze meses, a sua opinião terá mudado quanto àquilo que contêm – saberá então aquilo que convém dar ou deitar fora e aquilo que deve guardar.

✸ Pense nos objetos velhos e inúteis que herdou e naqueles que comprou por engano, e pergunte-se se tem mesmo vontade de os guardar.

Irá servir-se um dia de um artigo do qual só se serviu uma vez? Não acumule bens a pensar que poderão ser úteis em caso de urgência: as crises atuais não justificam que sejamos tão prudentes.

✸ Retire o que está no segundo caixote: tudo o que quer dar e tudo o que deve ir para o lixo. Selecione aquilo que pode ser reciclado – eletrodomésticos pequenos, livros, papel, têxteis, plásticos. Deite o resto no caixote do lixo indiferenciado. Todos os outros recipientes destinam-se aos objetos que podem ser reciclados – as categorias dos produtos recicláveis já estão claramente definidas. Os serviços municipais podem levar os objetos mais volumosos, como eletrodomésticos grandes ou peças de mobiliário. Informe-se junto da sua câmara municipal.

 

TUDO O QUE DEVE IR EMBORA: como se livrar do que não necessita

✸ Contacte uma loja de roupa em segunda mão para lhe vender as suas roupas ou então ofereça-as a uma instituição de caridade ou a uma associação de apoio social. Também existem circuitos de distribuição de artigos vintage na Internet – informe-se. Procure ainda na sua vizinhança os pontos de recolha de têxteis para reciclar.

✸ Junte um stock de artigos que se destinam a ser vendidos numa feira: roupas, livros, revistas antigas, aparelhos elétricos em bom estado de funcionamento, CD ou DVD, brinquedos em bom estado, louça, ferramentas, obras de arte ou objetos decorativos.

✸ Contacte creches, os serviços da Segurança Social ou da Santa Casa da Misericórdia, e a Cruz Vermelha Portuguesa e ofereça-lhes os brinquedos e os livros com que não quer ficar. Há muitas Instituições Particulares de Solidariedade Social (IPSS) e outras organizações solidárias que recebem vestuário e brinquedos usados e os entregam a crianças desfavorecidas.

✸ Hoje em dia, alguns supermercados já dispõem de pontos de recolha de aparelhos elétricos avariados: deixe aí os seus.

✸ Tente vender os objetos de arte, joias e livros antigos em bom estado a antiquários ou a lojas de artigos usados. Mande igualmente avaliar as suas joias a um joalheiro ou a um especialista de confiança, que poderá comprar as pedras ou metais preciosos.

✸ Os sites de leilões ou de venda são plataformas de troca interessantes para uma grande variedade de artigos, desde os mais correntes aos mais inimagináveis. Estude o funcionamento destes sites antes de avançar e avalie os seus objetos comparando-os com outros semelhantes, para não os vender muito caros ou demasiado baratos.

FÁCIL! Organize uma venda de garagem ou de quintal em sua casa. Distribua panfletos pela vizinhança e decore as proximidades da sua casa para atrair a atenção de potenciais visitantes. Exponha os seus artigos no quintal ou na garagem, em cima de mesas ou de tábuas assentes sobre cavaletes. Coloque etiquetas em todos os artigos, mas esteja sempre disponível para baixar os preços, pois regatear também faz parte deste negócio.

_____________________________________________

Artigo retirado do livro "IDEIAS GENIAIS PARA A CASA"