Mitos sobre o Cérebro

 

Não acredite nestes mitos comuns.

 

MITO 1

A capacidade para lembrar diminui com a idade.

A VERDADE Um cérebro idoso perde alguma agilidade, mas continua com uma capacidade de armazenamento enorme. Por exemplo, decorar uma extensa lista de palavras exige mais tempo. No entanto, se se esforçar, um sénior consegue guardar a informação tão bem (ou melhor ainda) como um jovem.

 


MITO 2

As memórias são fotocópias perfeitas de informações ou acontecimentos. 

 A VERDADE As memórias não estão guardadas. São interpretações de acontecimentos, reconstruídas sempre que as «chamamos». Vivem em redes complexas de vias de células nervosas por todo o cérebro, que contêm fragmentos de acontecimentos e toda uma vida de conhecimentos acumulados. Cada reconstrução é uma combinação entre o que realmente aconteceu e aquilo com que o nosso cérebro «preenche as lacunas», baseando-se para isso «no que deve ter acontecido» a partir do conhecimento acumulado; por isso, a maior parte das lembranças não é completamente precisa.
Quando atribuímos algo à memória, estamos a «colocar carris» ao longo de um trilho de memória. Como um caminho numa floresta, que quanto mais
percorremos mais nos conhecemos. No entanto, perdemos pormenores de uma caminhada específica ao longo desse trilho, como quando vamos ao mesmo restaurante muitas vezes: podemos lembrar-nos do que costuma acontecer aí, mas tendemos a esquecer os pormenores de visitas individuais.

 


MITO 3

O cérebro é menos ágil dos 40 ou 50 em diante.

A VERDADE A agilidade mental começa a decair por volta dos 24 anos para algumas competências, ao passo que outras parecem melhorar no início da idade adulta, antes de começarem a diminuir na meia-idade. À medida que envelhecemos, maior é o esforço que temos de fazer para manter o cérebro a funcionar
bem, mas se arranjarmos maneiras de compensar, adquirindo conhecimento específi co e experiência, ou aprendendo técnicas úteis, então o nosso cérebro poderá mesmo ultrapassar o dos mais jovens.

 

___________________________________________

Texto retirado de "Cérebro em Forma para Toda a Vida"