Novidades da Medicina

Mais razões para caminhar

Arquive isto na categoria «pouse esta revista e ponha-se a mexer». Um programa de caminhada e exercício destinado a adultos mais velhos e que, provavelmente, viriam a ter dificuldades a andar ajudou a prevenir mais problemas de mobilidade, em comparação com um programa de «envelhecer bem-sucedido» em que não estavam envolvidas caminhadas. Os investigadores concluíram que mesmo o grupo fisicamente inativo, a quem não tinha sido pedido que se exercitasse, teve tendência a, mesmo assim, fazer alguma coisa durante os dois anos e meio que durou o estudo. 

Qual é o legume mais saudável?

Dificilmente passa um dia sem que tenhamos conhecimento de um estudo que assinala um alimento particularmente saudável. Mas o que é que realmente torna um fruto ou um legume especial? Um investigador nos Estados Unidos dedicou-se a definir os alimentos «poderosos» e encontrou 41 que merecem o epíteto. Nessa lista incluem-se muitos legumes de folha (por ordem, o top 10 é: agrião, couve- -chinesa, acelga, rama de beterraba, espinafres, chicória, alface, salsa, alface-romana, couve), bem como pimentos vermelhos, brócolos e abóbora, entre outros. 

Mais provas contra o sedentarismo

Investigadores da Universidade de Regensburgo, na Alemanha, analisaram 68 936 casos de cancro de 43 estudos anteriores e concluíram que as pessoas que passavam mais tempo sentadas corriam um risco maior de certos tipos de cancro. Ver televisão também mostrou ter uma forte conexão com o cancro, porque, dizem os autores, é um ato muitas vezes associado ao consumo de alimentos e bebidas pouco saudáveis. 

Exames colorretais fazem a diferença

Durante os 33 anos em que se tornaram comuns nos Estados Unidos as colonoscopias, as sigmoidoscopias e as análises ao sangue oculto nas fezes, estima-se que tenham sido prevenidos cerca de meio milhão de casos de cancro colorretal. Acrescentem-se as pessoas de outras partes do mundo que também fizeram colonoscopias e concluir-se-á o tremendo impacto que estes exames tiveram no mundo. 

Afrontamentos? Seja tolerante

As mulheres mais tolerantes consigo próprias serão, possivelmente, menos afetadas pelos sintomas da meno-pausa, e não permitirão que estes as definam. É a conclusão de um estudo publicado na Maturitas: The Euro-pean Menopause Journal. Os investi-gadores descrevem esta «autocompaixão» como uma «forma saudável de se relacionar com o eu, quando se passa por experiências difíceis», e dizem que isso pode ser aprendido. Os especialistas aconselham que em vez de pensar: «Sou estúpida por me sentir assim», deve ser gentil consigo própria e aperceber-se de que não está sozinha na nova realidade.