O Compostor

Cascas de batata, ramas, legumes estragados... são biodegradáveis e podem ser valorizados e transformados. Terão naturalmente lugar numa caixa ou caixote de compostagem.

 

O COMPOSTOR: um gesto pelo ambiente
Em França, dos 870 milhões de toneladas de lixo tratado todos os anos, mais de dois terços são detritos orgânicos. Foi no início da década de 1990 que a reciclagem e o tratamento otimizado destes preciosos detritos biodegradáveis se tornaram, na Europa, um projeto ecológico de grande envergadura: em 2016, em França, a gestão biológica por compostagem representou 14% do volume de detritos tratados, e adquiriu-se o hábito da triagem: começaram a surgir, em zonas urbanas, espaços de triagem coletivos junto dos prédios. Os contentores verdes, para os detritos não recicláveis, os contentores amarelos, para os plásticos e as embalagens recicláveis, e os caixotes castanhos destinados à compostagem coletiva. Compre para o seu jardim uma caixa de compostagem de 80, 140 ou 240 litros. Deverá ter uma tampa equipada com um biofiltro que impede a entrada de moscas e insetos nocivos. Os micro-organismos e as enzimas deste filtro reduzem a formação de odores.

OS DETRITOS A DEITAR NO COMPOSTOR: saiba fazer a triagem
Num caixote de compostagem só se deitam detritos orgânicos suscetíveis de serem decompostos por micro-organismos. Deite aí as cascas e as ramas de legumes e de fruta, alface, citrinos com pouca casca e também cascas de ovo, borras de café, pacotes de chá sem agrafos ou migalhas de pão. Também pode deitar, mas em pequenas quantidades, restos de carneou de peixe, crus ou cozinhados. O compostor também degrada papel absorvente, as embalagens dos ovos, plantas lenhosas e relva cortada, folhas e flores murchas. Podem ainda deitar-se cabelos, penas, papel de jornal e areia das caixas dos gatos – se for à base de serradura ou de palha.

 

GERIR A SUA CAIXA DE COMPOSTAGEM: o tratamento correto
A manutenção de um compostor é extremamente simples se o tratarmos
corretamente desde o início. É verdade que isto exige esforços, mas as obrigações da gestão
de uma caixa de compostagem são mínimas.

✸ Na cozinha, instale um caixote do lixo pequeno com tampa rebatível. Forre o fundo com uma camada de papel de jornal que irá absorver todos os líquidos. Deixe secar um pouco as cascas e outros detritos antes de os deitar no caixote, pois a humidade favorece a formação de odores. Mantenha a caixa de compostagem o mais seca possível. Estenda uma folha de papel de jornal na sua bancada de trabalho antes de descascar os legumes.
Depois use o jornal para enrolar as cascas e folhas e deite tudo no caixote antes de o ir despejar, quando estiver cheio, na caixa de compostagem instalada no jardim.

✸ No verão, guarde a sua caixa num local à sombra: as temperaturas elevadas, associadas à humidade, aceleram o processo de decomposição assim como a formação de odores. No inverno, se deixar o seu coletor no exterior, tenha o cuidado de verificar que o conteúdo deste não congela.

✸ Lave com frequência a sua caixa de compostagem com água, mas não utilize detergente: de um modo geral, os resíduos dos detritos orgânicos eliminam-se facilmente.

✸ Limite a formação de odores na sua caixa deitando-lhe folhas mortas, terra ou palha e arejando-a mais ou menos de duas em duas semanas. Nas lojas de produtos de jardinagem também se vendem ativadores naturais em pó.


EFICAZ! Na sua caixa de compostagem intercale detritos de cozinha e de jardinagem. Isto evita que escorra muito líquido para o fundo da cuba: a fermentação de qualquer corpo húmido provoca emanações de gases malcheirosos.