Precisa de desintoxicar-se?

 

 

Sim ou não?

 

A desintoxicação está hoje muito em voga com base na ideia de que estamos expostos a tantas substâncias tóxicas através de alimentos, bebidas e ar poluído que o nosso sistema imunitário fica sobrecarregado. Assim, para recuperar a saúde há que remover as toxinas, jejuando e lavando o cólon.

Embora a ideia de jejuar para limpar o corpo das toxinas tenha milhares de anos, os especialistas afirmam que beber só água ou sumos por mais de um dia pode ser perigoso, em particular para aqueles que sofrem de doenças do fígado ou dos rins. Quanto às lavagens intestinais – enormes clisteres que supostamente removem as bactérias e as toxinas do cólon e resolvem todos os problemas de saúde, desde alergias a fadiga crónica e
borbulhas –, constituem um risco mesmo para as pessoas saudáveis. É verdade que existem razões válidas para nos sujeitarmos por vezes a clisteres (limpar o intestino antes de exames auxiliares de diagnóstico, como uma colonoscopia, por exemplo), mas libertarmo-nos de toxinas não é uma delas. As células que
revestem o aparelho gastrintestinal são substituídas de dois em dois ou de três em três dias, de modo que as toxinas não têm possibilidade de se acumular.

Finalmente, existem muitas razões para não se proceder a estas lavagens:

1 O processo pode causar arritmia. Pode também baixar o ritmo cardíaco e a tensão arterial.


2 A lavagem do cólon pode agravar problemas intestinais existentes, como a diverticulite (inflamação de pequenas bolsas nas paredes do cólon) e cólon espástico.


3 Existe um pequeno risco de perfuração ou infecção intestinal.

4. As lavagens frequentes podem tornar o cólon «preguiçoso». É possível ficar-se dependente de clisteres para evacuar.