Preto e Azul

 

Investigação da tendência dos adultos para terem nódoas negras.

 

Samantha Rideout

 

À medida que envelhecem, muitas pessoas reparam que fazem nódoas negras mais facilmente. Se é uma delas não tem de se preocupar. Conhecidas medicamente como «contusões», em geral as nódoas negras são provocadas pelo rompimento de capilares (minúsculos vasos sanguíneos) e hemorragia sob a pele. Com a idade os capilares tornam-se mais frágeis e a pele e os tecidos gordos ficam mais finos e não são tão eficazes a amortecer as pancadas e quedas.

Em qualquer estágio da vida a maioria das nódoas negras é inofensiva e não precisa de tratamento. O corpo reabsorve o sangue vertido, normalmente em poucas semanas. Colocar gelo na contusão pode evitar que alastre, diz a Dra. Paola Pasquali, membro da Academia Europeia de Dermatologia e Venereologia. «Se a nódoa tiver mais de 48 horas, aplicar compressas mornas pode ajudar a acelerar a cura», afirma.

No entanto, se vir nódoas vermelhas bem definidas em locais onde apanhou muito sol ao longo dos anos pode ter púrpura actínica, uma condição que resulta da combinação de danos provocados por raios UV e a idade e que também é benigna. Para camuflar uma nódoa negra use um tom complementar na roda das cores. Envelhecimento à parte, algumas pessoas ficam com nódoas negras mais facilmente do do que as outras. A tendência para qualquer ferimento mínimo ficar preto e azul parece verificar-se em algumas famílias, e em geral as mulheres são mais suscetíveis do que os homens. (Os cientistas ainda não conseguiram perceber porquê.)

Outra explicação possível é a medicação. «O uso prolongado de corticosteroides orais ou tópicos (medicamentos anti-inflamatórios prescritos para a artrite e o eczema, entre outras doenças) pode tornar a pele mais fina, ficando com mais tendência para sofrer de contusões», diz a Dra. Paola Pasquali.

Os medicamentos que reduzem a coagulação do sangue (como a Aspirina, warfarin e rivaroxaban) também podem fazer com que as hemorragias capilares demorem mais tempo a parar, resultando em marcas maiores e mais visíveis. Isto não significa que deva automaticamente parar de tomar o que lhe receitaram, em particular se for medicação para controlar o risco de eventos que ameacem a sua vida, como um ataque cardíaco ou um AVC.

No entanto, fale com o seu médico. «Mudar a dose ou tipo de medicação pode ser de considerar», afirma o Dr. Jecko Thachil, coautor de um artigo de 2017, publicado no British Medical Journal, sobre a facilidade de os adultos terem contusões. «E o médico deve determinar se a medicação é mesmo a causa do problema.» Para isso, pode requerer o historial médico pormenorizado.

Embora, de um modo geral, as nódoas negras não sejam caso para alarme, há exceções. Se tiver uma que esteja bastante inchada e provoque dores, em vez de levemente intumescida e dorida, pode ser uma rutura ou fratura que exige atenção. Também deve falar com o seu médico se subitamente ficar com muitas contusões, se não desaparecem com o tempo ou teimarem em aparecer sem razão aparente – em particular se for em zonas menos dadas a lesões, como as costas, peito ou rosto. «Podem ser sinal de problemas médicos como escorbuto, leucemia, doença dos rins ou falência hepática», explica a Dra. Paola Pasquali.

Em resumo, deve seguir a mesma regra que aplica a qualquer outra alteração corporal: na dúvida, seja observado.