Prevenções e Exames de Rastreio

Cancro. É natural que tente não pensar nisso e, na verdade, as probabilidades de vir a ter uma doença cancerosa são menos de 50%. 

 A percentagem de uma mulher vir a sofrer de cancro é de 38% e a de um homem é de 43%. Pode reduzir ainda mais estas probabilidades tomando conta de si o melhor possível.

As estratégias que tem vindo a aprender neste livro – fazer uma alimentação com poucas calorias, pobre em gorduras e rica em fruta e legumes, ter um bom relacionamento com a família e os amigos, fazer exercício físico com regularidade e dormir bem ajudarão a fortalecer o seu sistema imunitário e a criar uma poderosa linha de defesa contra o cancro. Mas não se fique por aqui. Sabendo-se hoje que muitos tipos de cancro são curáveis se detetados a tempo, é essencial fazer exames médicos e de rastreio regularmente. De facto, termos à nossa disposição novos e melhores métodos de deteção é a causa principal da redução do número de mortes por cancro. Nas duas últimas décadas, a taxa de sobrevivência de doentes com muitos dos cancros mais comuns subiu 30%. O diagnóstico precoce da doença tem sido muito eficaz e, embora não proporcione a cura a todos os doentes, em muitos casos permite um período de sobrevida mais longo e com melhor qualidade de vida. Eis uma lista dos exames de que necessita.

Exames de rastreio As indicações que se seguem dirigem-se a adultos saudáveis. Quem tenha fatores de risco, como história familiar de cancro ou exposição prolongada a agentes cancerígenos, pode necessitar de exames mais frequentes.

Autoexame dos seios

Como se faz. Com os dedos, palpe o seio para detetar caroços ou espessamentos. Depois, em frente do espelho, verifique se existe corrimento dos mamilos, erupções, pequenas covas ou rugas na pele ou outras irregularidades e veja se houve alteração da forma dos seios. Se detetar alguma alteração, fale com o médico o mais depressa possível para ser examinada.

Quantas vezes deve fazer. Deve começar a fazer o autoexame mensal aos seios aos 20 anos e continuar a fazê-lo durante toda a vida, mesmo durante a gravidez e depois da menopausa.

Porque deve fazer. O autoexame regular dos seios permitir-lhe-á conhecê-los suficientemente bem para detetar precocemente qualquer alteração.

Não esquecer. Faça o autoexame (leva cerca de 5 minutos) na semana após a menstruação, quando os seios já não estão inchados ou sensíveis. Após a menopausa, as mulheres devem fazer o exame sempre na mesma altura do mês.

Exame clínico dos seios

Como se faz. O médico far-lhe-á um exame aos seios muito semelhante ao seu próprio autoexame.

Quantas vezes deve fazer. Segundo o American College of Obstetricians and Gynecologists, as mulheres entre os 20 e os 39 anos devem fazer este exame a intervalos de três anos. Depois dos 40 anos, o exame deve passar a ser anual.

Porque deve fazer. Em conjunto, o exame realizado pelo médico, os autoexames e as mamografias oferecem as maiores probabilidades de deteção precoce do cancro da mama.

Não esquecer. Marque o exame para a semana a seguir à menstruação, quando os seios estão menos sensíveis e as anomalias são mais fáceis de detetar.

Mamografia

Como se faz. Os seios são posicionados, um de cada vez, entre uma chapa de plástico e a placa de raios X e a seguir radiografados.

Quantas vezes deve fazer. As mulheres entre os 50 e os 69 anos devem fazer uma mamografia de dois em dois anos. O médico aconselhará as mulheres com fatores de risco a começarem a fazer mamografias mais cedo e com regularidade. Os autoexames regulares são uma ajuda valiosa na deteção precoce do cancro da mama, pois, apercebendo-se de sinais ou sintomas invulgares, a mulher pode consultar o médico atempadamente.

Porque deve fazer. O rastreio para a deteção precoce do cancro da mama pode detetar um cancro antes que o nódulo seja suficientemente grande para que o possa sentir.

Não esquecer. Para que os resultados sejam tão fiáveis quanto possível, marque a mamografia para a semana a seguir à menstruação.

Pesquisa de sangue oculto nas fezes

Como se faz. Ser-lhe-á pedida uma amostra das suas fezes para determinar a presença de sangue (oculto).

Quantas vezes deve fazer. Depois dos 50 anos, anualmente, tanto homens como mulheres.

Porque deve fazer. Quantidades microscópicas de sangue nas fezes podem indicar cancro colorretal que, se detetado precocemente, é tratável em 95% dos casos. O exame é especialmente importante para pessoas de alto risco, como as que têm casos deste tipo de cancro na família. Uma dieta saudável e a prática de exercício físico podem reduzir a incidência de cancro colorretal em 66-75%.

Não esquecer. Para maior fiabilidade do exame, coma muita fruta rica em fibras (em especial maçãs, peras e passas), legumes crucíferos (brócolos, couves-de-bruxelas, espinafres), feijão e cereais de pequeno-almoço com farelo. Para reduzir as hipóteses de resultados falsamente positivos, evite carne vermelha, vitamina C e aspirina durante três dias antes de entregar as amostras de fezes para análise.

Sigmoidoscopia

Como se faz. Introduz-se um endoscópio flexível (aparelho de observação fino com uma fonte de luz) pelo reto até ao cólon sigmoide para investigar a presença de lesões suspeitas. O sigmoidoscópio é ligado a uma câmara de vídeo e a um ecrã, que permitem uma inspeção visual rigorosa. O exame é indolor.

Quantas vezes deve fazer. A partir dos 50 anos, tanto os homens como as mulheres devem fazer este exame de cinco em cinco anos.

Porque deve fazer. O exame permite localizar pólipos (pequenas excrescências pré-cancerosas) que podem não ser detetados através da análise das fezes. A melhor estratégia será fazer os dois exames. Os investigadores de Harvard calculam que uma análise anual das fezes e uma colonoscopia de cinco em cinco anos reduziriam as mortes por cancro colorretal em 80%.

Não esquecer. Ser- -lhe-á pedido que tome um laxante forte ou faça um clister antes do exame para limpar o cólon e o reto, de modo a que o médico possa ter uma boa visão dos tecidos do interior do cólon.

Colonoscopia

Como se faz. Introduz-se um endoscópio (aparelho de observação fino, flexível e dotado de uma fonte de luz) através do reto para examinar todo o cólon e procurar lesões suspeitas.

Quantas vezes deve fazer. Depois dos 50 anos, homens e mulheres devem fazer este exame uma vez de 10 em 10 anos.

Porque deve fazer. Se toda a gente fizesse uma colonoscopia aos 50 anos, as mortes por cancro colorretal diminuiriam em 30%. A colonoscopia deteta muitos problemas pré-cancerosos que a sigmoidoscopia por si só não detetaria.

Não esquecer. Através do colonoscópio, podem introduzir-se acessórios para colher biopsias, fazer esfregaços e extrair pólipos suspeitos imediatamente. próstata (PSA), uma proteína produzida pela próstata. Níveis elevados de PSA podem ser sinal de cancro da próstata.

Quantas vezes deve fazer. A partir dos 50 anos, todos os homens devem fazer este exame anualmente.

Porque deve fazer. A taxa de cura de cancro da próstata detetado precocemente é elevada.

Não esquecer. Este exame não é totalmente fiável, pois alguns homens com aumento de volume benigno da próstata também têm níveis elevados de PSA. Um resultado falso positivo exige mais exames para confirmar o diagnóstico e pode causar grande ansiedade.

Exame pélvico e citologia do colo

Como se faz. O médico palpa o útero, a vagina, os ovários, as trompas de Falópio, a bexiga e o reto à procura de anomalias. Depois, com um instrumento chamado espéculo, alarga as paredes vaginais para observar a vagina e o colo do útero. Para a citologia do colo (teste de Papanicolau), o médico raspa algumas células do colo do útero e envia a amostra para análise laboratorial, a fim de se detetar a presença de infecções, inflamações ou células anormais (cancerosas ou pré-cancerosas).

Quantas vezes deve fazer. A partir dos 18 anos ou depois da primeira relação sexual, todas as mulheres devem fazer este exame regularmente. As mulheres sexualmente ativas e com vários parceiros sexuais ou que tenham sido infectadas com o vírus do papiloma humano (HPV), que pode ser pré-canceroso, devem fazê-lo anualmente. Noutros casos, o médico pode recomendar exames a intervalos mais alargados.

Porque deve fazer. Após a introdução do esfregaço cervical como exame de rotina, o número de mortes por cancro do colo do útero diminuiu mais de 70%.

Não esquecer. O esfregaço cervical e o exame pélvico devem ser realizados duas semanas após a menstruação; nas 24 horas anteriores não faça lavagens vaginais, não use medicamentos vaginais ou tampões nem tenha relações sexuais.

________________________________________

Excerto retirado de "REFORCE AS SUAS DEFESAS"