QUIROPRÁTICA

 

NESTA TERAPIA, UM QUIROPRÁTICO manipula as articulações e a coluna, de modo a reequilibrar as funções do corpo.

Foi Daniel David Palmer quem desenvolveu a quiroprática no final do século XIX. A ideia desta terapia surgiu-lhe quando descobriu que uns pequenos ossos na coluna da empregada surda que fazia a limpeza ao escritório dele se tinham deslocado e que depois de os manipular para regressarem à posição correta a empregada voltou a ouvir. Palmer fundou a Escola Palmer de Quiroprática, juntando as palavras gregas «cheiro», que significa «mão», e «praktikis», que
quer dizer «fazer».

 

USADA PARA
- Distensões e entorses - Dores de cabeça  - Dores nas costas e no pescoço - Dores no maxilar - Enxaquecas - Nevralgia

 

COMO FUNCIONA

Palmer acreditava que todas as doenças estão associadas a problemas na coluna e que, portanto, os quiropráticos deveriam ser capazes de tratar todos
os tipos de doenças, além dos exemplos mais óbvios de lesões musculoesqueléticas. Esta filosofia fez da quiroprática um tratamento controverso no passado, mas começa agora a ganhar o reconhecimento de alguns médicos, sobretudo para problemas musculoesqueléticos.

Mais de 90% dos doentes que consultam um quiroprático têm problemas musculoesqueléticos, dores lombares ou dores posturais devidas a ciática, um nervo comprimido, e também nevralgia occipital e facial ou dores no maxilar ou no pescoço, tensão muscular ou entorses. A terapia também pode ajudar
pessoas que sofreram o chamado «golpe de chicote» (que ocorre muitas vezes na sequência de acidentes de automóvel) ou aquelas que sofrem de enxaquecas ou dores de cabeça de tensão.

Alguns quiropráticos continuam a seguir a filosofia de Palmer e consideram que o tratamento pode ajudar a resolver outras queixas, pois os problemas nas costas podem provocar não só dores ou um mau funcionamento da coluna como dores nos ombros, peito, braços, ancas, joelhos ou pernas. Assim, podem usar as suas aptidões para tratar asma, colite, cólicas dos bebés, obstipação e problemas menstruais.

 

UMA CONSULTA
Uma consulta num quiroprático inclui habitualmente um exame físico pormenorizado, o levantamento da história clínica do doente e uma eventual observação de radiografias, caso existam. Segue-se em geral um trabalho suave e preparatório dos tecidos moles e depois qualquer ajuste ou manipulação necessários. Isto raramente é doloroso, embora alguns doentes possam sentir um choque ligeiro ao início, sobretudo se o quiroprático executar manipulações rápidas; por vezes, estas ações provocam estalidos.
Muitas vezes, em caso de dor crónica, o alívio é imediato. Noutros, pode sentir-se uma certa rigidez antes de a zona relaxar e se tornar mais flexível.
Podem ser necessárias várias sessões, dependendo da queixa e da resposta do corpo.

 

Texto retirado de "Os Remédios Naturais preferidos pelos médicos"