Riscos do exercício intenso

 

Além de prejudicar a reação do sistema imunitário, a prática demasiado intensa de exercício físico pode fazer que

mesmo pessoas que estão em muito boa forma adoeçam pelos seguintes motivos:

 

u Aumento da exposição a micro-organismos. Se viaja dentro do País ou vai para o estrangeiro para competir em provas desportivas, entra em contacto com vários tipos de vírus estranhos ao seu sistema imunitário. Se algum deles penetra no organismo debilitado pela competição, tem grandes probabilidades de adoecer.

u Deficiências nutricionais. A fim de aumentarem as suas forças e/ou resistência, algumas pessoas que levam o exercício físico muito a sério seguem dietas ainda não testadas que podem provocar carências em importantes nutrientes, como ácidos gordos essenciais e vitamina E. Está provado que estas carências podem debilitar a função imunitária.

u Lesão muscular. A lesão repetida dos tecidos musculares devido a exercício excessivo pode provocar fortes reações imunitárias, quer nas áreas lesionadas, quer em todo o organismo. A curto prazo, esta ativação imunitária serve para reparar o tecido lesionado. Porém, a mobilização contínua das células responsáveis pela imunidade para as fibras musculares pode diminuir a resistência à infecção, pois grande parte das forças de defesa do organismo é dirigida para uma só tarefa em vez de manter a vigilância generalizada.

u Pressões ambientais. Correr, andar de bicicleta ou caminhar longas distâncias com demasiado calor ou frio é uma sobrecarga para o sistema imunitário. Se o seu circuito é através da cidade e se obriga a percorrer um certo número de quilómetros num certo número de dias, as pressões são ainda maiores – não só respira ar poluído como ainda, para conseguir cumprir as metas estabelecidas, pode não dormir o suficiente.

 

_______________________________________

Excerto retirado de "REFORCE AS SUAS DEFESAS"