Travar um rapto

A  coragem de um rapaz salva uma menina.

 

Alyssa Jung

Parecia uma cena pintada por Normal Rockwell: três miúdos a rir, dando voltas numa motoreta, numa rua sossegada. No passado mês de dezembro, numa tranquila tarde de sábado em Wichita Falls, no Texas, TJ Smith, de 11 anos, tinha acabado de sair da mota, porque a sua vizinha Kim, de 7 anos, reclamara a sua vez de andar. A cena desenrolara-se sob o olhar da irmã de Kim, Julie, de 9 anos. Kim subiu para a mota e fez uma pausa para retomar o fôlego. Nesse momento, apareceu um homem barbudo, de caracóis muito despenteados. Os míudos não repararam de onde surgira o homem, mas viram o que aconteceu a seguir: sem pronunciar uma palavra, o desconhecido tirou Kim da scooter e afastou-se calmamente com a menina.

"Ele segurou-a como se ela fosse um bebé e começou a descrer a rua" conta TJ. A forma como o homem pegou em Kim levaria a crer que se tratava de um parente ou de um amigo, mas alguma coisa não batia certo: "Eu conseguia ver a cara dela, ela estava assustada". Kim começou a soluçar e depois a gritar por ajuda, dando pontapés e gesticulando, tentando livrar-se das garras do desconhecido. Mas o homem, imperturbável, percorreu todo o quarteirão e, chegando a um beco, desapareceu.

O primeiro impulso de TJ foi perseguir o homem, mas com menos de um metro e meio e pouco mais de 30 quilos, pouco podia fazer para travar um adulto. "Queria ajudá-la, mas não o conseguia fazer sozinho" recorda. Por isso, correu para casa de uns vizinhos.

Brad Ware estava no sofá da sua sala de estar com a mulher, quando a porta da frente se escancarou de repente. "Brad", gritou TJ, "um homem agarrou uma menina e levou-a para um beco!".

Tão rápido quanto chegara, TJ saiu a correr, perseguindo o homem que tinha levado a sua amiga. "Corri até ao sítio para onde ele a tinha levado, para ver se ainda lá estavam", explica TJ.

Brad Ware e a mulher enfiaram-se rapidamente no carro e foram atrás de TJ, que correu até ao fim da rua, dirigindo-se para o beco. Não fazia ideia do que o esperava, mas sabia que tnha de encontrar Kim, Temia que nunca mais a vissem com vida.

Mal chegou ao beco, viu o homem de pé, em frente a uma casa branca abandonada, com janelas partidas, tábuas nas portas e um jardim descuidado. O homem tentava empurrar a menina em pânico para dentro da casa, através de uma janela. Nessa altura, Brad e a mulher pararam o carro. "Fica aqui", dissera Brad a TJ, enquanto se dirigia à casa abandonada. Com Brad Ware a observá-lo, o homem soltou Kim e afastou-se, primeiro despreocupadamente, desatando depois a correr.

Brad alcançou-lhe e deu-lhe um pontapé nas virilhas, prendendo-o com os braços. O homem conseguiu libertar-se e correu para o outro lado da rua. Quando tropeçou, Brad lançou-se sobre ele e atacou-o.

Alertados por Julie, e por outros vizinhos, a polícia e a mãe de Kim chegaram rapidamente ao local. Kim correu para a segurança dos braços da mãe e as duas abraçaram-se, entre lágrimas.

As autoridades algemaram e prenderam Raeshwan Perez, de 26 anos, que foi acusado de rapto agravado. Foi estabelecida uma fiança de 50 mil dólares.

Houve vários heróis naquele dia, mas Brad Ware insiste que o sangue-frio e a tenacidade do rapazinho de 11 anos merecem todo o reconhecimento: "Foi ele que salvou a menina" disse Brad à imprensa.

Quando a mãe de TJ soube do sucedido, não ficou surpreendida: "Ele é exatamente assim, primeiro pensa nos outros e só depois em si", comentou Angie Hess Smith.